Versão 3.12

novidade

Nova Versão 3.12

A importância dos padrões:

Os padrões internacionais divulgados pela ISUOG (Sociedade Internacional de Ultrassonografia em Obstetrícia e Ginecologia) são uma maneira de uniformizar os termos e definições das imagens de ultrassom. Esta padronização é extremamente importante para comparar estudos e combinar dados, além de universalizar as nomenclaturas entre o clínico e o examinador para ajudar na prática do dia a dia e nas pesquisas clínicas.

A Progsystem sabe da importância e das vantagens de se utilizar os padrões e implementamos em nosso sistema os mais relevantes para facilitar e ajudar o médico examinador a disseminar as boas práticas.

Em nossa nova versão do Ultra-System 3.12 que está sendo lançada no congresso nacional da SBUS (setembro/2018) já pode utilizar de forma opcional nos laudos todos estes novos recursos. Abaixo citamos e identificamos os padrões que estão sendo adicionados nesta nova versão com algumas terminologias:

MUSA (Morphological Uterus Sonographic Assessment): Este padrão orienta a descrever e reportar as características ultrassonográficas do miométrio.

IETA (International Endometrial Tumor Analysis): Este padrão orienta a descrever e reportas as características ultrassonográficas do endométrio.

Para implementar estes padrões (MUSA, IETA) no sistema foram adicionados novos campos para descrever a morfologia do útero e endométrio além de uma nova tabela para descrever as possíveis lesões utilizando as características exigidas pelos padrões ou apenas a classificação do FIGO em relação aos miomas.

IOTA (International Ovarian Tumor Analysis): Este padrão orienta a descrever e reportas as características ultrassonográficas de massas anexiais.
Foi adicionado uma tabela para descrever e realizar o cálculo de probabilidade do risco de malignidade da massa anexial levando em consideração 12 itens entre morfologia da massa e outras características do exame. O LR1 (Logistic Regression) é calculado em percentual e descrito no laudo para indicar o risco.

GI-RADS (Gynecologic Imagin Reporting Data System): Classificação para massas anexiais podendo classificar ovário direito, ovário esquerdo ou os dois ao mesmo tempo.

Ainda falando sobre padrões internacionais, foi adicionado o cálculo do TI-RADS ACR 2017 no laudo de ultrassom de tireoide e doppler de tireoide mantendo ainda os campos destes laudos anteriores.

Agora com o ACR 2017  é possível automaticamente o sistema indicar o TI-RADS com a rotina e/ou procedimento que deve seguir levando em consideração a morfologia e tamanho do nódulo de maneira fácil.

Outras modificações

Não paramos apenas nos padrões internacionais, também foram adicionados na nova versão 3.12 outros recursos citados abaixo:

  • Identificação de anemia fetal pela informação do Pico Sistólico da Artéria Cerebral Média (MCA Doppler) automaticamente no laudo de Doppler Obstétrico;

  • Calculadora fetal para identificação da melhor hora do parto em patologia da Gastrosquise;

  • Reformulação para obter o cálculo automático no laudo Morfológico Primeiro Trimestre da Pré Eclampsia no site da Fetal Medicine Foundation;

  •  A opção de importação automática das medidas diretamente do aparelho de ultrassom para os laudos foi estendida, agora além dos laudos obstétricos, morfológico, pélvico e endovaginal, temos também para: Doppler Obstétrico (Dopplerfluxometria); Abdome Total*;  Abdome Superior*; Aparelho Urinário*; Morfológico Primeiro Trimestre*; Próstata* e Tireoide*.

  •  Novo módulo com opção de assinatura digitalizada dos laudos, o que dispensa a assinatura convencional**.

* Depende de compatibilidade do aparelho de ultrassom para a geração das medidas para estes laudos;
** Módulo comercializado separadamente; 

Telas da nova versão